• KomaX

A importância da análise de custo x benefício na escolha do elemento filtrante.

A relação custo-benefício influencia muito a lucratividade e os resultados gerais de uma empresa. Porém, por mais que seja um conceito altamente relevante dentro de uma organização, diversas vezes ele é negligenciado, em grande parte, pelo desconhecimento de como calculá-lo.


Saber estimar a relação custo-benefício traz para o gestor um panorama melhor sobre produtos (elementos filtrantes) que valem a pena investir para definir o seu time de fornecedores.

Para que você possa entender melhor como esse processo funciona, confira abaixo alguns pontos essenciais que devem ser levados em conta para avaliar a relação custo-benefício de elementos filtrantes.


1. Valor do elemento filtrante

Quando falamos em custo do elemento filtrante, não estamos falando somente de preços, mas da forma como ele impacta a qualidade final do seu produto/serviço, ou seja, no valor agregado gerado ao produto final/cliente.

Um elemento filtrante de menor qualidade proporciona custos mais baixos, o que pode naturalmente parecer que o seu custo de produção está ok. Porém, é preciso avaliar o real custo-benefício disso respondendo a algumas perguntas, como:


Minha empresa está disposta a pagar menos e produzir um produto com menor qualidade?

O preço/qualidade inferior deste elemento filtrante pode gerar problemas operacionais para o meu processo?


Essas perguntas ajudam a trazer resoluções importantes para avaliar o tipo de elemento filtrante aplicado e o quanto isso afeta diretamente o processo.


A maneira com que a produção ocorre tem muito a ver com o custo-benefício apresentado e pode ser calculada sobre a base de alguns critérios além do valor do elemento filtrante, como:


2. Custo de descarte do elemento filtrante,

3. Custo de mão de obra para troca dos elementos filtrantes,

4. Perda de produto acabado durante a troca dos elementos filtrantes, e

5. Perda de produção durante a troca dos elementos filtrantes.


É importante nesse momento não deixar de lado nenhum dispêndio, mesmo que ele pareça irrelevante, pois querendo ou não acaba impactando o custo final. E esse custo final ajudará a mostrar o quão benéfico será conduzir o processo desse modo. Abaixo podemos ver um exemplo desta análise:



Caso de uma fábrica de motores



Não fazer esse monitoramento dos custos acarreta insuficiência na base de cálculo dos benefícios de seus produtos. Esse controle também permite buscar outros fornecedores, quando os gastos estão acima do esperado, e manter assim as despesas dentro do que foi planejado.


Como vimos, verificar a relação custo-benefício é um item tão importante que impacta de forma profunda o sucesso de um processo. Diante disso, é altamente recomendado incluir a avaliação desse ponto como algo pertencente ao cotidiano, para que ele contribua com a obtenção de resultados melhores.


Nós da KomaX estamos dispostos a ajudar nossos clientes a entender suas necessidades e encontrar a melhor relação custo-benefício.

Contate-nos!


Ricardo Martins,

Bacharel em Química, Especialista em Filtração Industrial, MBA em Gestão de Estratégica de Empresas e Negócios

Gerente Comercial da KomaX.


75 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo